sexta-feira, dezembro 23, 2005

NATAL

Dizem que estamos na época do Natal, como se houvesse uma época própria para o Natal. NATAL é NATALidade, é nascimento. É o nascimento de uma nova vida que se torna importante para os outros.
Que cada um de nós faça deste Natal um Natal de si próprio, sentindo-o como o nascimento de uma nova vida dentro de si mesmo e que essa nova vida o ajude a transformar-se numa pessoa nova.
Uma pessoa nova, cheia de vontade de encontrar novas aventuras, novas coragens, novas amizades, novos amores, novas energias, novas fronteiras, novas pontes para os outros.
Uma pessoa nova, cheia de vontade de encarar as suas limitações (aceitando-as ou ultrapassando-as) e de reforçar os lados positivos da sua existência, reaprendendo a reconhecer e a valorizar a beleza das coisas com que se cruza ao longo do seu trajecto de vida.
Uma pessoa nova, cheia de vontade de ser uma nova pessoa, uma pessoa melhor, com um sentido mais apurado de humanidade: de respeito pelo outros, de entendimento dos outros e com os outros, enfim, de partilha com os outros.
Não é garantido, mas com pessoas melhores há mais hipóteses de o mundo também ser melhor. Eu vou tentar que haja um Natal dentro de mim. E desejo, sinceramente, que haja um Bom Natal dentro de cada um de vós.
E desejo também que, ao longo do próximo ano, todos nós saibamos fazer, todos os dias, um Natal dentro de nós. Uma vida que não se renova constantemente, não é vida: é morte.
Viva o Natal!

3 Comments:

Anonymous lfmrcr@msn.com said...

Ao ler o post "NATAL" ocorreu-me uma passagem de Vergilio Ferreira em "Aparição" (págs 150,151), que tomo a liberdade de transcrever:"(...) tu não assististe ainda à aparição de ti a ti próprio. Tu nunca pensaste a sós contigo, no silêncio:«Estou vivo, eu sou, eu, esta vitalidade iluminada que se sente, se não pensa, se toca e é estranha e arrepia de medo e nos põe os cabelos em pé.» Tu vives adormecido nesta quietude da terra e no fundo não sabes que és mortal (...)".
Talvez introduzindo nas nossas vidas a relatividade implicita na nossa existencialidade, o fenómeno do Natal possa adquirir novas formas e conteúdos.

2:02 da tarde  
Blogger domingoz said...

Uma Pessoa Nova cheia de Saúde e Alegria, e que partilhe com os outros esses mesmo sentimentos... Um feliz natal para o Prof. Constantino e seus também... Felicidades, e não abuse das guloseimas, senão, teremos uma pessoa nova, com alguns quilos a mais.

4:36 da tarde  
Blogger Adriano Cruz said...

Natal é quando o Homem quizer! (e a Mulher deixar....)

10:12 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home